Estamos em campanha: Participe!

“Por um Novo Semanário em Defesa da Independência Nacional, da Democracia e da Elevação do Padrão de Vida Material e Cultural dos Trabalhadores”

Nosso plano básico é lançar a publicação – impressa e digital – no segundo semestre de 2019 e consolidá-la até o final do primeiro semestre de 2020. Nossa empresa, a Editora Manifesto, tem 20 anos. Nesse tempo fizemos duas revistas mensais, Reportagem e Retrato do Brasil. Embora pequena, Manifesto é sólida: não tem dívidas, paga colaboradores pontualmente.

Lançamos o projeto do semanário em 2015 por que é preciso ter mais presença editorial. Com esse objetivo deve-se acompanhar o dia a dia com intervenções, através do semanário e de blogs, sobre os assuntos mais relevantes nas diversas áreas – da política, da economia, da situação social e da cultura.

Mas quanto custa isso? Há quem pense que é muito pouco por causa dos novos tempos, da internet etc. Mas isso é um engano. O que custa não é a distribuição do conteúdo; é a produção do conteúdo. Uma equipe mínima – mesmo que seja do campo popular, com salários sem exageros – para realizar o exame da conjuntura na sua diversidade de aspectos e para conduzir esse esforço com profissionais competentes nas diversas áreas do empreendimento – redação, administração, vendas, ou seja, cerca de 100 pessoas, na soma dos de tempo integral com os colaboradores – custa cerca de 500 mil reais mensais.

De onde podem vir esses recursos? Do apoio do público.

As revistas mensais de Manifesto tinham preços da mesma ordem dos semanários das grandes empresas (11 reais nas edições mais recentes). Mas um semanário se publica em média 4,3 vezes por mês, ou seja, uma receita mais de quatro vezes maior. O semanário Movimento, nos últimos e mais difíceis anos de sua vida – com atentados contra os jornais alternativos – entre bancas e assinaturas vendia 10 mil exemplares por semana. Ou seja, 10 mil compradores, pagando pelo semanário 50 reais por mês, são suficientes para reunir os recursos necessários para sustentar um semanário do campo nacional, democrático e popular.

O que fizemos até agora, nessa direção:

  • Para custear a primeira fase da campanha produzimos para comercialização a coleção digitalizada das revistas Reportagem e Retrato do Brasil – em DVD e versão on-line – acompanhada de livreto que detalha nossas intenções
  • Lançamos campanha de venda de quotas de participação de 5 mil reais, pagáveis em até 10 vezes (leia mais sopre isso). Conseguimos 90 quotistas, 450 mil reais com os quais mantemos o site editoramanfesto.com.br e uma equipe de seis profissionais, entre tempo integral e parcial
  • Publicamos um livro de cobertura do impeachment de Dilma Rousseff e, outro, sobre as contas do Brasil com artigos escritos desde 1972, quando dirigimos o semanário Opinião e denunciamos o chamado milagre brasileiro da época dos governos militares.
  • Em setembro de 2018 começamos uma série de 12 cadernos especiais sobre grandes temas da conjuntura para serem vendidos sob a forma de assinaturas anuais de apoio ao projeto, a 600 reais cada, que se pode pagar também em parcelas. Uma assinatura desses cadernos dá direito à série, mais o livro sobre as contas do Brasil.
  • Compre uma dessas assinaturas de apoio
  • Organize uma reunião de interessados em discutir o projeto. Nos convide e compareceremos.

Raimundo Rodrigues Pereira
Fones 11-97121-9777 e 11-5084-1952
e-mail novo_projeto@editoramanifesto.com.br


(*) Sobre as cotas de participação na campanha:

As receitas obtidas desse modo são destinados a uma entidade jurídica criada exclusivamente para gerir a campanha, a Editora Manifesto S/A SCP (Sociedade em Conta de Participação). Explicamos:

De acordo com o boletim Consultor Jurídico (CJ), uma Sociedade em Conta de Participação “é uma reunião de pessoas físicas ou jurídicas para a produção de um resultado comum, operando sob a responsabilidade integral de um ‘sócio ostensivo’. É o sócio ostensivo quem pratica todas as operações em nome da SCP, registrando-as contabilmente como se fossem suas, porém identificando-as para fins de partilha dos respectivos resultados.” No nosso caso, a Editora Manifesto S/A é o sócio ostensivo da Editora Manifesto S/A SCP. Ainda conforme o CJ, “os sócios participantes (antigamente denominados ocultos), ou seja, todos os outros integrantes do empreendimento que não o sócio ostensivo, não têm participação na gestão dos negócios e se obrigam somente perante este último.” No nosso caso, os sócios participantes não aqueles que, convidados, adquirem cotas de R$ 5.000,00 com o objetivo único e específico de apoiar a campanha.

PUBLICIDADE

Comente

Uma resposta para “Estamos em campanha: Participe!”

  1. Muito boa a iniciativa de edição de um semanário para lutar contra ditadura instituída no Brasil após o golpe midiático-judicial que derrubou a presidente Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *