CIÊNCIA&TECNOLOGIA – 12/09/2018 – Patente da ferramenta de edição de genes CRISPR-Cas9 nos EUA é do MIT e da Universidade Harvard, decide tribunal

Imagem de Nature.com Imagem de Nature.com

O Tribunal de Apelação para o Circuito Federal dos EUA decidiu nesta segunda-feira conceder a propriedade intelectual da ferramenta de edição de genes CRISPR-Cas9 ao Instituto Broad, da Universidade Harvard, em Cambridge, e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), confirmando decisão anterior do Escritório de Marcas e Patentes dos EUA, informa a edição on-line da revista Nature

  • diversos pedidos de patentes de organismos com genomas modificados por meio de CRISPR-Cas9 foram registrados nos EUA, além de reivindicações de direitos sobre modificações e aperfeiçoamentos específicos na técnica, mas a disputa principal na Justiça estava em torno das alegações do Broad e de uma equipe liderada pela bióloga molecular Jennifer Doudna, da Universidade da Califórnia (UC), em Berkeley
  • o Tribunal de Apelação considerou que o Broad foi responsável pelo desenvolvimento dos principais aspectos da técnica tal como ela passou a ser amplamente utilizada
  • a UC pode ainda recorrer à Suprema Corte dos EUA, que não é obrigada por princípio a julgar a causa e pode se recusar a apreciá-la
  • desde que a técnica CRISPR foi criada, muitas inovações já aconteceram, como o uso de diferentes enzimas de corte além da pioneira Cas9 e, uma das mais recentes, uma espécie de “miniaturização” do kit que permite edições de trechos bem menores do genoma, com muito mais precisão e menos efeitos indesejados

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *