FATOS RELEVANTES PUBLICADOS ENTRE 09 e 11/06/2018

Jesco Denzel/AFP/Getty Images Jesco Denzel/AFP/Getty Images

Após deixar reunião de líderes do G7 antes do final do encontro, Trump diz que pode não assinar documento conjunto do grupo

Leia mais

 

BRASIL/POLÍTICA

Em Minas, Dilma lança pré-candidatura de Lula a presidente

Durante o lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (imagem acima, de PT) para a eleição presidencial deste ano, ocorrida na última sexta-feira em Contagem (MG), a ex-presidente Dilma Rousseff leu carta de Lula à Comissão Executiva Nacional (CEN) do PT, na qual o ex-presidente afirma que espera que a Justiça Eleitoral mantenha “a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir meu direito e o direito dos eleitores de votar em quem melhor os representa”

  • em seu manifesto (clique aqui), Lula também afirmou que espera impedir a “privatização da Eletrobras, do Banco do Brasil e da Caixa, o esvaziamento do BNDES e de todos os instrumentos de que o País dispõe para promover o desenvolvimento e o bem-estar social” e que a “Petrobras não foi criada para gerar ganhos para os especuladores de Wall Street, em Nova York, mas para garantir a autossuficiência de petróleo no Brasil, a preços compatíveis com a economia popular”
  • durante o ato, foi exibido vídeo com o mote da pré-campanha, “O Brasil feliz de novo”, que apresenta a trajetória do petista, de Pernambuco à Presidência, a eleição de Dilma e seu impeachment, até chegar em 2018, quando exibe discursos de Lula como pré-candidato
  • o ato contou com a presença de parlamentares e lideranças de movimentos de esquerda, como MST e CUT
  • uma mensagem do pré-candidato Guilherme Boulos (PSOL) foi lida aos militantes
  • dos cinco governadores petistas, somente o do Ceará, Camilo Santana, próximo do pré-candidato Ciro Gomes (PDT), não compareceu
  • no sábado, o PT divulgou (clique aqui) resolução aprovada pela CEN sobre tática eleitoral, que coloca a candidatura de Lula como prioridade absoluta e define estratégia da política de alianças
  • de acordo com o texto, a tática visa construir uma coligação nacional para apoiar a candidatura Lula com PSB, PCdoB e outros partidos que venham a assumir esse apoio

 

Em pesquisa do Datafolha, Lula lidera com 30%; sem ele, Bolsonaro é o primeiro, seguido de perto por Marina Silva, e o número de indecisos sobe mais de 50%

Pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha na semana passada e publicada pelo diário Folha de S.Paulo neste domingo aponta na simulação do primeiro turno da eleição presidencial o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 30% da preferência dos 2.824 entrevistados de 174 municípios brasileiros, seguido por Jair Bolsonaro (PSL), com 17%; Marina Silva (Rede), com 10%; Ciro Gomes (PDT), com 6%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 6%; e Álvaro Dias (Pode), com 4%

  • nesse cenário, 21% dos entrevistados disseram não ter candidato
  • nos três cenários da simulação do primeiro turno eleitoral em que Lula é substituído por outro candidato do PT ou não há candidato desse partido, Bolsonaro obtém 19% das preferências; Marina, entre 14% e 15%; Gomes, entre 10% e 11%; Alckmin, 7%; Dias, 4%
  • os que se declararam sem candidato flutuam entre 33% e 34%
  • a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos para mais ou para menos
  • imagem acima de Sputnik Brasil

 

Em Buenos Aires, Ciro Gomes admite incluir PP e DEM em aliança, junto com PSB e PCdoB

O pré-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) participou de evento em Buenos Aires (imagem acima, de O Globo), na Universidade Nacional de Buenos Aires (UBA), na última sexta-feira, quando foi recebido pela vice-presidente da Argentina, Gabriela Michetti, e em entrevista a jornalistas defendeu a formação de uma ampla aliança para disputar a eleição presidencial

  • de acordo com o diário O Globo, Gomes admitiu que “poderia incluir o PP e o DEM”, nessa aliança, desde que tenha “o PSB e o PCdoB” para garantir “hegemonia moral e intelectual” da ala mais progressista
  • “A eleição presidencial não tem qualquer centralidade no Brasil hoje e isso explica porque os pré-candidatos ainda não anunciaram seus companheiros de chapa”, disse
  • sobre suas perspectivas eleitorais, Gomes reiterou que se vê disputando o segundo turno com Geraldo Alckmin (PSDB), já que avalia que “Lula não será candidato”

 

BRASIL/ECONOMIA

Dólar caiu 5,5%, a maior desvalorização em uma década

O dólar comercial encerrou a sexta-feira cotado a venda a R$ 3,7074 para venda, valor 5,5% abaixo do alcançado no dia anterior

  • de acordo com o diário Valor Econômico, essa foi a maior desvalorização diária da moeda americana em uma década
  • imagem acima de Thomas White/Reuters

 

Ibovespa acumulou queda de 5,56% na semana passada

O Índice Bovespa (Ibovespa), que mede o desempenho da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), principal bolsa de valores brasileira, encerrou o pregão da última sexta-feira em 72.942 pontos, 1,23% abaixo do resultado do dia anterior

  • segundo o diário Valor Econômico, ao longo da semana passada o índice acumulou queda de 5,56%
  • imagem acima de e-DOU

 

IPCA subiu 0,40% em maio e 2,86% em 12 meses

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) variou 0,40% no mês passado, 0,18 ponto percentual (p.p.) acima da variação ocorrida em abril último

  • neste ano, o acumulado atingiu 1,33% e é (clique aqui), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o menor para um mês de maio desde a implantação do Plano Real
  • nos últimos 12 meses o acumulado atingiu 2,86%
  • segundo a nota do IBGE, “o IPCA de maio é o primeiro a incorporar em seu cálculo a nova metodologia de apropriação das variações dos itens mão de obra para pequenos reparos e empregado doméstico, além das três novas áreas: Rio Branco/AC, São Luís/MA e Aracaju/SE”
  • o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que abrange o consumo das famílias com renda entre um e cinco salários-mínimos mensais, que vivem nas regiões pesquisadas para o IPCA, teve alta de 0,43%, ante elevação de 0,21% em abril
  • imagem acima de Migalhas

 

BRASIL/CONDIÇÕES DE VIDA

Após tiroteio entre policiais e supostos traficantes na Zona Sul do Rio, sete corpos são encontrados

Na última sexta-feira, ocorreram trocas de tiros entre policiais e supostos traficantes nos bairros da Urca e do Leme, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro (RJ)

  • o tiroteio paralisou por duas horas a circulação do bondinho do Pão de Açúcar e fechou por 15 minutos o Aeroporto Santos Dumont, pois o local faz parte da rota das aeronaves que chegam ou decolam
  • segundo a Polícia Militar, o tiroteio teve início após ação do Batalhão de Choque nas comunidades Babilônia e Chapéu Mangueira, que fica entre os bairros
  • de acordo com o diário O Estado de S.Paulo, no dia seguinte ao tiroteio, sete corpos de supostos traficantes foram encontrados na região
  • segundo o jornal, familiares identificaram os corpos como sendo de traficantes que atuavam no Morro Chapéu Mangueira, e acusaram a Polícia Militar de ter matado os homens após se renderem
  • a Polícia Militar informou que os corpos serão submetidos a perícias para identificar a causa das mortes
  • na imagem acima, PM que ficou ferido durante ação na Urca, de Reprodução/Whatsapp

 

Forças de segurança realizaram megaoperação em comunidades da Zona Sul do Rio de Janeiro

Forças de segurança realizaram neste sábado megaoperação nas comunidades Rocinha (imagem acima, de Carlos Brito/G1), Vidigal, Chácara do Céu, Parque da Cidade, Cidade de Deus e Praça Seca, localizadas na cidade do Rio de Janeiro (RJ)

  • de acordo com o Comando Militar do Leste (CML), a ação envolveu “cerco, estabilização da área e remoção de barricadas”
  • o CML também informou que a operação contou com quatro mil militares do Exército, 300 policiais civis e 300 homens da PM, 20 homens da Polícia Federal
  • de acordo com o diário O Estado de S.Paulo, segundo balanço do CML, 16 pessoas foram presas na Rocinha, 8 em flagrante e 8 por mandados e um dos detidos foi Ronaldo Azevedo Oliveira da Cunha, conhecido como RD, é acusado de matar um policial militar em 2012 na comunidade

 

MUNDO/POLÍTICA

Após deixar reunião de líderes do G7 antes do final do encontro, Trump diz que pode não assinar documento conjunto do grupo

O presidente americano, Donald Trump, declarou no sábado, durante voo para Cingapura, onde se reunirá com Kim Jong-un, o líder da República Democrática do Povo da Coreia (Coreia do Norte, DPRK, na sigla em inglês), que os EUA não assinariam a declaração final do encontro do G-7, realizado no Canadá

  • Trump retirou-se da reunião, iniciada na sexta-feira, quatro horas antes do encerramento e disse que não assinaria o documento por defender um “sistema de comércio baseado em regras”
  • segundo a publicação digital The Espresso Economist, o líder americano sugeriu que poderia estender tarifas mais altas aos carros e chamou o anfitrião, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, de “muito desonesto e fraco”
  • Trudeau havia criticado as tarifas americanas impostas às importações de aço e de alumínio, considerando-as um “insulto”
  • o presidente da França, Emmanuel Macron, disse que a diplomacia “não pode ser ditada por ataques de raiva”
  • na sexta-feira, ao embarcar para participar da cúpula do G-7, Trump declarou que “a Rússia deveria estar nessa reunião, deveria fazer parte disso” e, segundo o diário O Estado de S.Paulo, os líderes da Alemanha, Angela Merkel, do Reino Unido, Theresa May, da Itália, Giuseppe Conte, além de Macron, reunidos antes do encontro, concordaram que “a posição europeia é de negar o retorno da Rússia” ao grupo
  • o G-7 é formado por Alemanha, Canadá, EUA, França, Itália, Japão e Reino Unido
  • a Rússia fez parte do grupo, então chamado G-8, até 2014, quando foi excluída após a anexação da Crimeia
  • imagem ao topo de Jesco Denzel/AFP/Getty Images

 

Áustria fecha mesquitas e expulsa religiosos muçulmanos ligados a partido do presidente da Turquia

O primeiro-ministro da Áustria, Sebastian Kurz (imagem acima, de Sputnik Brasil), anunciou, na última sexta-feira, o fechamento de sete mesquitas e a expulsão de religiosos muçulmanos ligados à Turquia, sob a acusação de recebimento ilegal de recursos do exterior, com base em lei que proíbe financiamento externo de entidades religiosas

  • segundo Kurz, “na Áustria não há espaço para sociedades paralelas e radicalizações”
  • de acordo com o diário O Estado de S.Paulo, os religiosos integram a Associação Turco-Islâmica, que seria próxima ao Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP), do presidente turco, Recep Erdogan
  • segundo O Estado, a expulsão ocorre após a entidade ter divulgado imagens na mídia austríaca de garotos vestidos com uniformes de camuflagem como soldados turcos, reencenando a Batalha de Gallipoli (ocorrida na I Guerra Mundial e vencida pela Turquia), em uma das mesquitas da associação
  • o porta-voz do governo turco, Ibrahim Kalil, disse que “a expulsão é anti-islâmica, racista, discriminatória e populista”

 

Justiça do Peru inicia investigação de ex-presidentes suspeitos de receberem dinheiro ilegal da Odebrech

O Ministério Público do Peru anunciou neste domingo a abertura de investigação preliminar contra os ex-presidentes Pedro Pablo Kuczynski, Alan García e Alejandro Toledo, suspeitos de receber contribuições ilegais da construtora brasileira Odebrecht para suas respectivas campanhas eleitorais

  • segundo o diário Folha de S.Paulo, em fevereiro o brasileiro Jorge Barata, ex-chefe da Odebrecht no Peru, interrogado pela polícia peruana em São Paulo, afirmou que distribuiu milhões de dólares entre os candidatos à Presidência peruana entre 2001 e 2016
  • de acordo com o periódico peruano La Republica, o procurador José Domingo Pérez, que estará à frente das investigações, escreveu em sua conta no Twitter: “abriu #InvestigaçãoPreliminar por lavagem de ativos contra”
  • Kuczynski renunciou ao cargo presidencial no último 21 de março, devido a suposto envolvimento de suas empresas em negócios com a Odebrecht
  • imagem acima de O Globo

 

MUNDO/ECONOMIA

Operadora do Alipay capta 14 bilhões de dólares em investimentos

A Ant Financial, startup chinesa subsidiária do grupo Alibaba, divulgou na última sexta-feira, por meio de comunicado, ter arrecadado cerca de 14 bilhões de dólares em uma rodada de investimentos

  • segundo o diário O Estado de S.Paulo, o valor é considerado o maior aporte já recebido por uma empresa privada
  • a arrecadação elevou o valor de mercado da Ant Financial, que opera a principal plataforma de pagamentos móveis da China, o Alipay, para 150 bilhões de dólares
  • segundo O Estado, entre os investidores estão o fundo de investimentos Temasek Holdings, de Cingapura, os americanos Silver Lake e General Atlantic, o Canada Pension Plan Investment Board e o fundo de investimentos estratégicos do governo da Malásia, Khazanah Nasional Berhad
  • o Alibaba, o maior grupo de comércio eletrônico chinês, detém 33% das ações da startup
  • imagem acima de Crowdfund Insider

 

MUNDO/CONDIÇÕES DE VIDA

Itália não aceita que embarcação com mais de 600 refugiados atraque nos portos do país

Neste domingo, o Ministério do Interior da Itália se recusou, não oficialmente, a deixar atracar nos portos do país o navio Aquarius, utilizado pelas ONGs SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF) no resgate de 629 imigrantes, em sua maioria embarcados na Líbia (imagem acima, de Reuters)

  • segundo o diário O Estado de S.Paulo, Matteo Salvini, novo ministro do Interior italiano escreveu em seu perfil no Facebook que “a partir de hoje [domingo], a Itália começa a dizer ‘não’ ao tráfico de seres humanos, ‘não’ ao negócio da imigração clandestina”
  • de acordo com o jornal, o governo italiano pediu ao governo de Malta que receba a embarcação, o que foi rejeitado, já que o governo maltês considera que o país “não é a autoridade competente nem coordenadora neste caso, e observará as leis vigentes”
  • segundo a MSF, entre os 629 resgatados estão 123 menores desacompanhados, 11 crianças e sete mulheres grávidas

 


Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *